Óleo novo tem contaminação?

A contaminação de fluidos, seja em óleo novo ou usado, é um problema sério que se não evitado, gera desgaste e consequentemente o surgimento de outras partículas e elementos contaminantes nos óleos, resultando em prejuízos ao sistema.

Uma questão certa e defendida por profissionais da área: para manter um equipamento funcionando no auge de sua capacidade, para reduzir custos de manutenção e para evitar falhas inesperadas é preciso que o óleo esteja “limpo”. Ou seja, livre de qualquer tipo de contaminação sólida ou líquida (água). Desse modo, diante de diversas dúvidas do dia a dia, uma nos chama mais atenção: o óleo novo tem contaminação?

A resposta é SIM! Para responder esta questão realizamos um estudo de caso:

Contaminação em óleo novo

Por mais que sejam tomados todos os cuidados necessários no dia a dia, a contaminação do óleo é difícil de ser evitada. Normalmente, ocorre por diversos fatores, como:

  • Partículas geradas pelo próprio desgaste interno;
  • Poeira que entra pelo filtro de ar;
  • Se dá durante o abastecimento, manutenção, ou montagem;
  • Ocorre por causa de vazamentos no sistema;
  • Durante o transporte, armazenagem ou transferência do óleo novo.

Alguns processos podem prejudicar a pureza do óleo novo, fazendo com que ele chegue aos equipamentos contaminado. Veja alguns exemplos:

  • Fonte: em algumas situações, o petróleo que dá origem ao óleo pode ser contaminado ao sair da refinaria. Ainda durante o processo de envasamento;
  • Transporte: o processo de transporte nem sempre é realizado de maneira adequada, o que pode gerar danos aos tambores. A consequência é a contaminação do óleo novo;
  • Armazenamento: na maioria das vezes, os tambores de óleo são manuseados sem os cuidados necessários, o que gera danos em cilindros e perfurações. Além disso, em alguns casos, os tambores não são colocados em locais secos e higienizados. A falta de cuidados tende a gerar corrosão nos metais, o que oferece sérios riscos de contaminação do óleo novo. Ainda causa danos às costuras do metal dos tambores, deixando o fluido exposto;
  • Transferência: o óleo novo pode sofrer contaminação quando transferido das embalagens originais a contentores intermediários.
Como resolver o problema da contaminação?

Dica de ouro: Análise e microfiltragem de óleo novo e usado também.óleo novo

Sabe o que é melhor do que remediar? Prevenir. A melhor maneira de garantir que o óleo novo esteja livre de contaminação é realizar procedimentos de análise e microfiltragem de fluidos, antes de que eles entrem em operação. Isso garante a remoção de qualquer tipo de partículas de contaminação, assim como a água.

A análise de óleo e a microfiltragem asseguram a pureza do óleo novo e usado, o que evita problemas de desempenho, de consumo exagerado, ou ainda de danos aos equipamentos.

 

Análise de óleo

A análise do óleo é uma das técnicas de monitoramento mais utilizadas no mundo, segundo a ALS. Com a análise de óleo podemos identificar falhas e agir antes que se tornem um problema, ter uma manutenção planejada, evitar danos severos ao óleo e aos equipamentos; aumentar o tempo de operação dos maquinários; ter informações em tempo real sobre a qualidade dos óleos e fluidos, entre muitos outros.

Investir na manutenção preditiva é importante para garantir a qualidade do óleo e, por consequência, aumentar a vida útil dos equipamentos. A melhor maneira de realizar isso é através da análise de óleo. Uma coleta do fluido é feita e levada ao laboratório para análise. É importante salientar que há diversos pacotes de análises que podem ser feitos, pois diferentes amostras podem ser coletadas de diversas partes do equipamento, depende da sua necessidade.

Microfiltragem de óleo

Os óleos passam por um conjunto de elementos filtrantes de profundidade. O processo microfiltragem elimina as partículas de contaminação (água e micropartículas), evitando desgastes e danos ao equipamento causados pelo óleo. A microfiltragem é eficiente para óleo diesel, lubrificantes e hidráulicos. A tecnologia elimina resíduos sólidos com poros entre 0,1 a 10 micrômetros, separando as partículas que contaminam o óleo. Ou seja, as partículas finas e ultrafinas de até 2 micras. (Um fio de cabelo tem diâmetro de 70 micras).

contaminação

Conclusão

Até mesmo o óleo novo pode conter contaminação, seja sólida ou líquida, como a água. É preciso estar atento às ações que causam estas contaminações e tentar evitá-las ao máximo.

Por mais que sejam tomados todos os cuidados necessários no dia a dia, a contaminação do óleo é difícil de ser evitada. Sabemos que não é possível evitar 100% da contaminação, por isso há maneiras de resolver o problema da contaminação em óleo novo e usado, como a análise e a microfiltragem de óleo.

Saiba mais sobre como resolver o problema de contaminação presente em óleos novos e usados, bem como as vantagens da análise e microfiltragem de óleo. Então entre em contato com profissionais da POC Filtros, que estão sempre à disposição para auxiliar na busca das melhores soluções para o seu equipamento.

Clique no botão abaixo ou preencha o formulário.

óleo

Rolar para cima
× Como podemos ajudar? Available from 08:00 to 18:00 Available on SundayMondayTuesdayWednesdayThursdayFridaySaturday